Chaise-Longue

Janeiro 23 2011

Uns breves comentários sobre os resultados já quase definitivos da eleição presidencial .

Há um vencedor que era mais do que certo - o dr. Cavaco Silva .

Há um resistente que cumpriu a missão de que fora incumbido ( fixar o eleitorado do

PCP ) - o sr. Francisco Lopes .

Há dois derrotados em toda a linha - o sr. Poeta Alegre e o dr. Defensor da Chicana

Política .

E há ainda dois outros vencedores, se bem que apenas parcialmente - o dr. Fernando

Nobre que trouxe à campanha um " perfume " algo diferente ( para além disso parabéns

ao dr. Mário Soares pela vingança obtida ... ) e o sr. José Manuel Coelho que terá neste

momento já a certeza ( o resultado obtido na Madeira foi impressionante e mesmo os

votos em todo o território nacional terão superado as perspectivas mais optimistas )

de que lhe irão surgir variadíssimas novas ofertas de " barrigas de aluguer " ...

publicado por Loscar Elmano às 21:34

Janeiro 12 2011

As contradições e as interpretações divergentes permanecem .

José Sócrates continua a propagandear  que Portugal está bem e recomenda-se .

Os compradores da dívida portuguesa e as agências de rating acham que não .

José Sócrates esgrime números ( mas apenas os que lhe interessam ) .

Os compradores da dívida portuguesa manifestam reservas e só adquirem com juros

altíssimos ( apesar de uma ligeira baixa - 6,806% para 6,716% - suficiente para os

" artistas " das nossas debilitadas finanças embandeirarem em arco ) por entenderem

que o risco é muito elevado ( o spread em relação à Alemanha é da ordem dos 400 pontos ) .

As agências de rating, perante a falta de resultados reais e palpáveis de uma recuperação

de Portugal, continuam a baixar a cotação da República .

O Primeiro-Ministro fala de alguns aspectos positivos ( um aumento da receita superior ao

estimado - como se não fosse previsível, face ao ataque flibusteiro ao bolso das classes

baixa e média, com esta última quase extinta ; o saldo da Segurança Social, resultante

dos cortes efectuados nas regalias dos beneficiários ) e de um outro que também considera

positivo, mesmo não o tendo sido ( o crescimento da despesa APENAS em 1,7%, como se

não fosse imperioso o controlo efectivo da " gordura " do Estado - redução do número de

deputados para 181, não sendo sequer necessária para tal uma revisão do texto constitucional;

diminuição drástica do número de Câmaras Municipais e de Juntas de Freguesia; extinção dos

Governos Civis ; fortes cortes na composição dos Gabinetes de Apoio a Ministros e Secretários

de Estado ; revogação dos regimes especiais de aposentação e das mordomias dos políticos;

etc., etc., etc. ) .

Mas, CLARO, há alguns dados que, mesmo na qualidade de provisórios, o Primeiro-Ministro

ainda não teve possibilidade de apresentar !...

São os dados que, provavelmente, revelarão um comportamento negativo e um impacto no

mesmo sentido nas Contas do Estado ( os Serviços e Fundos Autónomos, com, entre outros,

a esbanjadora Saúde, e as Administrações Regional e Local, com as Câmaras despesistas ) .

José Sócrates comporta-se como um CLONE do Ministro da Propaganda do Iraque ao tempo

da invasão do país pelos EUA .

E Portugal e os portugueses sofrem com a sua falta de credibilidade .

 

publicado por Loscar Elmano às 22:07

Janeiro 05 2011

Mário Soares foi uma figura incontornável da política portuguesa, com as virtudes e os

defeitos de qualquer outro ser humano .

Foi bem definido por José António Saraiva : " É um homem que, apesar das aparências,

me parece pouco disponível para os outros . Ama o povo teoricamente . "

Foi criticado, por forma intensa mas bem fundamentada, por Clara Ferreira Alves, no Expresso,

num texto intitulado " Este é o maior fracasso da democracia portuguesa " .

Tem uma vaidade insuperável e um egocentrismo brutal .

É um homem de extremos - não tem parceiros : ou tem súbditos ou tem inimigos .

Aliás, a candidatura presidencial dos Nobres ( Fernando Nobre+Nobre Soares ) é o exemplo

acabado de retaliação pelo rotundo fracasso que lhe foi provocado pelo Poeta Alegre .

E outros exemplos são fáceis de encontrar : basta pensar na impossibilidade sentida por

Rui Mateus de reeditar o seu livro " Contos Proibidos - Memórias de um PS Desconhecido ",

apesar de esgotadíssimo .

( Algo semelhante ou até mesmo pior, embora respeitante a outro figurante, se passa no

presente com António Balbino Caldeira, com o seu " O Dossiê Sócrates - A Investigação do

Percurso Académico de José Sócrates, com Factos Novos ", cuja publicação em Portugal foi

recusada por todas as editoras contactadas, tendo acabado por vir à estampa nos EUA e

sido difundido em Portugal através da Internet .

É que a censura não foi somente uma realidade nos velhos tempos do " lápis azul " . Hoje

ela aí está, pujante e viva, só que bem mais profissional e requintada . )

Regressemos, porém, ao tema da contradição .

Os políticos - e isso passa-se em todos os quadrantes - possuem o vício da contradição,

dizendo hoje o que tinham negado ontem .

Esse vício resulta de terem no ADN, impresso sem manipulação possível, o gene do

esquecimento .

Ora do esquecimento resulta inelutavelmente a contradição .

( Recordam-se daquela entrevista feita a José Sócrates em 2000 ?

Perguntaram-lhe :

" Engenheiro José Sócrates, vamos vê-lo um dia Primeiro Ministro ? "

Resposta de José Sócrates :

" Não ! Primeiro, porque não tenho o talento e as qualidades que um Primeiro Ministro

deve ter . Segundo, porque ser Primeiro Ministro é ter uma vida na dependência mais

absoluta de tudo, sem ter tempo para mais nada . É uma vida horrível e que eu não

desejo . Ministro é o meu limite . Aceitei pagar esse preço . Mas nada mais do que isso . "

Infelizmente - e para mal dos nossos pecados - eis que nos encontramos perante mais

um caso [ e este dramático ] de contradição . )

Fértil em contradições é Mário Soares, que um dia afirmou ser Sócrates o pior do Guterrismo,

enquanto que hoje em dia o louva e defende .

Mas o poema que segue descreve muitas outras contradições de Mário Soares :

 

 

                                                            BASTA !

 

                                                Vamos falar do Marinho

                                                O bochechudo velhinho

                                                Que não para de palrar .

                                                Vamos então começar .

                                                Falava em lugar aos novos

                                                Para convencer os povos

                                                De que falava verdade

                                                Não tendo ele contudo idade

                                                Só para os outros seria

                                                A si não se aplicaria .

                                                Pisca os olhos ao PC

                                                Pensando que ninguém vê

                                                Quanto mudou no assunto

                                                Puxando pelo bestunto

                                                Por certo recordaria

                                                Que com Zenha em luta dura

                                                A democracia pura

                                                Defendia noite e dia .

                                                Depois de insultar o Freitas

                                                - O qual, porém, já esqueceu

                                                E à esquerda se converteu -

                                                Todos possuem maleitas

                                                E fere a torto e a direito

                                                Com grande falta de jeito .

                                                Povo, sofre o teu calvário

                                                Pois bem pior que o tumor

                                               ( Não sendo o Portas, porém,

                                               Ser que satisfaça alguèm )

                                               É a falta de pudor

                                               Que revela o velho Mário .

 

 

 

 

publicado por Loscar Elmano às 17:23

Janeiro 01 2011

A Delegação de Setúbal da Casa os Professores promoveu um Concurso de Poesia cujo mote

era um verso de Bocage ( Já se afastou de nós o Inverno agreste ) .

Os poemas apresentados pelos concorrentes ao concurso não podiam revestir a forma de soneto .

O júri ( constituido por duas professoras da língua pátria e por um escritor ) atribuiu três prémios,

tendo o primeiro sido concedido, em 15 de Dezembro transacto, ao meu poema que seguidamente

reproduzo :

 

                                                    RENASCER

 

                                   Já se afastou de nós o Inverno agreste

                                   Fautor de solidão, melancolia

                                   E já não há tristeza que nos reste

                                   Ao ver que lindo surge o novo dia .

 

                                  A Primavera chega, de mansinho

                                  São flores que desabrocham sem cessar

                                  E já nem custa andar nosso caminho

                                  Ouvindo aquele riacho a sussurrar .

 

                                  Chilreiam passarinhos saltitantes

                                  Jogam à cabracega criancinhas

                                  Nada vai ser agora como dantes

                                  Longe que ficam tristes mágoas minhas .

 

 

publicado por Loscar Elmano às 16:11

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .
mais sobre mim
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30
31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO