Chaise-Longue

Junho 25 2017

Na fase de "rescaldo" dos deploráveis comportamentos de inúmeros "responsáveis" no ataque às chamas assassinas que devastaram Pedrógão Grande e na defesa das populações ameaçadas, o Presidente da República veio declarar do seu privilegiado púlpito :

"É tempo de, sem limites nem medos, se apurar o que, estrutural ou conjunturalmente, possa ter causado ou influenciado quer o sucedido quer a resposta dada ."

Significará tal frase que o PR entende justificar-se a abertura de um inquérito, extenso e profundo, ao acontecido ?

À primeira vista pode parecer que sim .

Mas, se recordarmos anteriores afirmações categóricas do mesmo titular, a dúvida instala-se .

Basta pensar qual poderia ser a primeira iniciativa de um instrutor nomeado .

E se este, recordando posições inequívocas tomadas por Marcelo Rebelo de Sousa no teatro de operações

( "o que se fez foi o máximo que se poderia ter feito" ; "não há nem falta de competência, nem de capacidade, nem de imediata resposta" )

e tendo em conta a autoridade do Supremo Magistrado da Nação, decidisse o arquivamento puro e simples do processo de inquérito ?

Não, não acreditamos que isso viesse ou que isso venha a acontecer .

Temos como mais provável que o processo de inquérito - a ser instaurado, como é desejável e imperioso até - olvide essas posições tomadas no teatro de operações, considerando-as, como muitos portugueses já o fizeram, "marcelices" do Presidente da República .

publicado por Loscar Elmano às 22:26

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .
mais sobre mim
Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24

26
28
30


pesquisar
 
blogs SAPO