Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chaise-Longue

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

O objectivo principal do futebol deve ser marcar golos e não trocar a bola

No meu blog e em 27 de Agosto de 2011 considerei que o Barcelona, se não contasse com Messi,

seria a equipa europeia mais chata e sensaborona do futebol europeu .

Quanto mais jogos do Barcelona vejo mais ciente fico da razão dessa minha opinião .

Posse de bola de 70% ou de 75% não significa nada, pois o futebol não é uma brincadeira de toma

lá dá cá, mas algo muito mais profundo e complexo .

Já nem as arbitragens chegam para disfarçar a "chateza" do futebol do Barça .

Acabou - felizmente ! - de ser virada uma página no Desporto Rei que tanto nos fascina .

Fascínio para o qual o Barcelona contribuia pouco !

A diferença - que não é despicienda - entre matemática e aritmética

Jorge Jesus declarou, há meia dúzia de dias, que, enquanto for matematicamente possível,

continua a acreditar na vitória do SLB no campeonato .

Em meu entender a afirmação de J.J. baseia-se mais na aritmética do que na matemática .

É que o "ainda" treinador do Benfica faz as contas como se continuasse aluno da 2ª classe

da antiga Escola Primária, uma vez que se baseou, singelamente em 3x0=0, 3x1=3, 3x2=6,

3x3=9 .

Se possuisse formação escolar mais completa não abdicaria por certo de associar à matemática

o cálculo de probabilidades .

Como, porém, não o conhece continua candidamente à espera de Godot ...

Até ser confrontado com a realidade expectável : ver o SLB em 2º lugar ou seja como o primeiro

dos últimos .

E viva o velho, enquanto o Benfica não investir seriamente num treinador capaz, o que já não

faz há bastantes anos .

 

A polémica sobre a actualização das taxas moderadoras

A actualização, há poucos meses, das taxas moderadoras para consultas médicas provocou uma

forte celeuma e deu origem a acerbas críticas, só que muito mais focadas em considerações de

puro tipo emocional do que em argumentos tecnicamente sustentados .

Assisti a essa fase e achei preferível deixá-la passar, para vir mais tarde ao assunto, atrevendo-me

a pensar que posso fazê-lo trazendo à questão argumentos mais válidos do que o mero barulho

de tipo emocional .

Tal como é, infelizmente, bastante banal em Portugal os intervenientes entricheiraram-se no oito

ou no oitenta .

Os defensores do statu quo não queriam sequer ouvir falar em qualquer ajustamento no valor, nem

que fosse de um cêntimo - são os mentores do oito .

O Governo,movimentando-se demasiadas vezes na vereda fácil do aumento irracional e brutal da

receita, com dolorosas consequências para os utentes, promoveu uma actualização exagerada e que

não resiste a uma análise descomprometida - é o titular do oitenta .

Por minha parte não alinho em nenhuma dessas posições .

In medio virtus é expressão latina que tem aqui aplicação plena .

Entendo que as taxas moderadoras que vigoravam antes da actualização  eram ridículas e justificavam

revisão ( estou a falar em 1,13€ para uma consulta num posto clínico do SNS ) .

Mas entendo também que as novas taxas ( estou a falar em 5,00€ nas mesmas condições ) são exageradas

e encontram-se até desarticuladas com outros montantes que são pagos pelos utentes em casos de

atendimento médico .

Basta para fundamentar esta minha posição dizer que um beneficiário da ADSE que recorra a uma consulta

de um médico convencionado paga 3,99€ ou seja muito menos do que aquilo que dispende numa consulta

num posto clínico do SNS !...

Choca-me que com tantos assessores e consultores técnicos ( embora em muito menor número do que o

existente na fase tenebrosa do Senhor Pinto de Sousa ... ) o Ministro da Saúde não tenha sido alertado

para tal incongruência .

Por minha parte, em conclusão, a posição quanto à actualização das taxas moderadoras pode resumir-se

nos seguintes pontos essenciais :

1º - as anteriores taxas moderadoras eram ridiculamente baixas e justificavam, portanto, actualização ;

2º - o aumento verificado ultrapassou em muito os limites do aceitável e do razoável e criou mesmo distorções

chocantes na arquitectura global do sistema do SNS ;

3º - um ajustamento das taxas moderadoras para 2,50€ ou mesmo 3,00€ teria sido justo, equilibrado e

equitativo .

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D