Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chaise-Longue

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

Como a fúria anti-tudo embota a inteligência

José Pacheco Pereira escreveu na revista Sábado :

" Já repararam que quando alguém critica o Governo, seja um bispo, um responsável desportivo,

um empresário vermelho, um chefe dos bombeiros, um autarca mais atrevido, 24 horas depois

aparece alguma notícia danosa, verdadeira ou falsa, populista ou insidiosa, a atacar a sua reputação

e os seus motivos ?

Os homens livres deveriam preocupar-se com a coincidência . "

Por minha parte acrescento que os homens inteligentes sabem que, no plano da estratégia, a melhor

defesa é o ataque .

E JPP também o sabe, só que a sua fúria anti-tudo embota-lhe a inteligência .

Paulo Portas e a sua inegável capacidade para construir pontes

São sobejamente conhecidas as capacidades políticas do dr. Paulo Portas .

No actual desempenho do cargo de Ministro dos Negócios Estrangeiros - cargo que tanto desejou

e que, ao fim e ao cabo de complexas negociações, conseguiu obter no Governo de coligação - é

vê-lo "emergir" quando se encontra ( com enorme frequência ) no estrangeiro ajudando a difundir

a "Marca Portugal" e "submergir" quando no país se começa a falar do risco e da hipótese de um

novo aumento nos sacrifícios pedidos aos portugueses .

E também "submerge", como se não integrasse o actual Governo, quando se desloca às Regiões

Autónomas dos Açores e da Madeira, seja em férias ou em trabalho partidário de um verdadeiro

lider da oposição .

No dia 2 do corrente mês o dr. Paulo Portas, na qualidade de membro do actual Governo como

Ministro dos Negócios Estrangeiros, teve um almoço de trabalho com o dr. António José Seguro,

secretário-geral do PS, maior partido da oposição .

A generalidade dos órgãos de informação referiu-se ao evento considerando que o seu objectivo,

nma altura em que são notórias algumas fissuras no relacionamento entre o Governo e o Partido

Socialista, foi o de construir pontes entre esses parceiros, de molde a que, na importante visão a

transmitir para o exterior, continuem a surgir os partidos do "Arco da Governação" ( com 75% a

80% dos votos ) como unidos no desígnio comum de recuperar Portugal .

Considero essa visão excessivamente redutora e injusta para o dr. Paulo Portas, não reconhecendo

todas as suas enormes capacidades negociais e a sua inegável competência para construir pontes .

É que, para além da "ponte" para manutenção do diálogo ( indispensável na actual conjuntura )

entre o Governo e o PS, o dr. Paulo Portas ( que tem uma sagaz visão de longo prazo e não brinca

em serviço ) pode ter começado, com pezinhos de lã, a construir uma nova "ponte" a utilizar - a

inclusão do CDS num futuro Governo de coligação, no caso de o PS, nas próximas eleições, ganhar

sem maioria absoluta .

O futuro o dirá !

Os Jogos Olímpicos de Londres e a fraquíssima participação portuguesa ( adenda )

Na sequência dos comentários que produzi ontem venho aditar mais alguns elementos que reforçam

o meu entendimento sobre a performance dos atletas portugueses que foram até Londres .

Decidi, neste desenvolvimento, analisar a relação medalhas alcançadas ( independentemente do seu

tipo ) / número de atletas nos sete países mais medalhados e comparar essa relação com a de Portugal .

Assim :

1 - EUA - 447 atletas e 104 medalhas : 1 medalha por 4,39 atletas ;

2 - China - 396 atletas e 87 medalhas : 1 medalha por 4,55 atletas ;

3 - Rússia - 436 atletas e 83 medalhas : 1 medalha por 5,25 atletas ;

4 - Alemanha - 276 atletas e 44 medalhas : 1 medalha por 6,27 atletas ;

5 - Grã Bretanha - 488 atletas e 65 medalhas : 1 medalha por 7,5 atletas ;

6 - Japão - 300 atletas e 38 medalhas : 1 medalha por 7,89 atletas ;

7 - Austrália - 410 atletas e 35 medalhas : 1 medalha por 11,71 atletas .

Quanto a Portugal, como sabemos, a relação foi de 1 medalha por 77 atletas, pelo que julgo dispensáveis

 mais comentários .

Acrescento apenas que o número de atletas de cada uma das sete nações mais medalhadas foi por mim

recolhido em vários sites e pode, eventualmente, apresentar pequenas diferenças para a realidade, em

especial se algum desses países, à última da hora, "repescou" algum atleta para os Jogos .

Como, por exemplo e infelizmente, fez Portugal com um maratonista que, apesar de todo o seu esforço,

concluiu a prova com o seu melhor resultado da época (duas horas, dezanove minutos e alguns segundos !),

apenas três minutos e vinte e sete segundos melhor do que a vencedora da maratona feminina .

Isto diz bem dos "apertados" critérios de selecção do Comité Olímpico Português !...

 

 

Os Jogos Olímpicos de Londres e a fraquíssima participação portuguesa

Embora a priori não fossem de esperar resultados espectaculares por parte dos 77 ( !!! ) participantes

portugueses nos Jogos Olímpicos de Londres a verdade é que as performances obtidas deixaram imenso

a desejar .

Também é facto que muitos dos seleccionados do nosso país nem sequer aos Jogos deviam ter ido,

tornando-se desejável que, para futuro, o Comité Olímpico Português seja mais "apertado" nas marcas

minimas de participação .

Se há restrições em tudo no momento actual em Portugal, o sector desportivo não deve ser excepcionado

nessa matéria .

Espera-se, portanto, que para os Jogos Olímpicos de 2016 no Brasil o COP actue como acima preconizo e

que só sejam seleccionados atletas com mínimo olímpico A .

Realmente, investir mais de quinze milhões de euros para uma medalha é muito caro !!!

Para além disso, contudo, entendo que o comentário mais actual não surgiu sequer à luz do dia, esquecido

no meio das 1482 referências elogiosas à única medalha ( e de prata ) conquistada por Portugal - e não

deixa de ser curioso que essa medalha tenha sido conquistada na canoagem, uma modalidade que é

parente pobre nos apoios mas os reproduz como nenhuma outra .

É que os canoistas Emanuel Silva e Fernando Pimenta, medalhados de prata em K2, conseguiram evitar que

Portugal, em todas as suas participações olímpicas, nem sequer conseguisse obter mais medalhas do que um

único participante ( Michael Phelps ) em apenas três olimpíadas ...

Sintamo-nos gratos a esses atletas por terem conseguido impedir tal vergonha .

 

 

A confirmação de que Portugal é um país de "doutores"

Tendo como pano de fundo a licenciatura supersónica de Miguel Relvas teci considerações neste blog

em 5 e 10 de Julho de 2012 desenvolvendo a ideia de que Portugal é um país de "doutores" .

Longe estava, porém, de supor que, pouco tempo depois, um Estudo sobre Níveis de Escolaridade em

países da OCDE ( 2004-2009 ) viria confirmar em absoluto essa minha impressão .

Os dados da OCDE são impressionantes :

a) na população entre os 25 e os 34 anos a taxa de escolaridade no total dos países era, no secundário,

de 78,7%, enquanto que em Portugal não ultrapassava uns míseros 44,3% ;

b) em contraponto, o número de graduados ( doutorados ) em percentagem da população na idade típica

de graduação mais frequente ( 30 a 34 anos ) era apenas de 0,9% no total dos países da OCDE, saltando

de forma espantosa para o triplo ( 2,7% ) em Portugal .

Ora digam lá se este cantinho ocidental da Europa não é na verdade um país de "doutores" ...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D