Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chaise-Longue

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

A quadratura do círculo

João Semedo, o provável futuro "meio presidente" ou "meio coordenador" do Bloco de Esquerda,

acenou recentemente ao PS e ao PCP tentando sensibilizar esses partidos para a constituição de

uma frente comum de esquerda, capaz de combater aquele que entende ser um perigoso Governo

de Direita que se encontra a destruir o país .

Mas, ao fazer esse repto, condenou-o de imediato ao insucesso ao estabelecer como condição sine

qua non para a constituição dessa frente comum a denúncia do acordo celebrado com a Troika .

Com isso inviabilizou o já de si altamente improvável assentimento do PS, partido que negociou,

quando ainda era Governo, o Programa de Resgate a Portugal .

Daí que, pese embora aos que sonham com a quadratura do círculo, somando as percentagens de

cada um desses três partidos nas mais recentes sondagens de molde a construir uma fantasiosa maioria

de esquerda, tenha ficado mais uma vez claro que o Ps não alinha nesses pacotes revolucionários .

E, nesse caso, o CDS ( o dr. Paulo Portas, como bem sabemos já há muitos anos, é capaz de tudo )

estará por certo disponível para formar um Governo de Coligação, seja com o PSD ou com o PS .

Ou pode, se a situação de Portugal continuar a revelar-se difícil e complexa, surgir um Governo do

Bloco Central ( PSD/PS ou PS/PSD ), hipótese na qual o "emagrecimento" do Estado será mais do

que nunca uma miragem, uma vez que a esmagadora maioria dos que se encontram instalados à

"manjedoira" emana desses partidos .

Sem uma enorme volta Portugal realmente não tem futuro !

O truque do Governo a contar com a distracção dos portugueses

O Projecto Gaspar de cortes brutais nos rendimentos dos portugueses das classes média ( se é que

esta ainda existe ... ) e média-baixa seria preocupante se não constituísse um tremendo embuste .

O Governo avançou com este pacote chocante ( Fase A ) ... e ficou à espera de ver a reacção que

tal pacote motivaria ( embora estivesse fartíssimo de saber qual ela seria ) .

Perante a Fase B ( crítica acerba ) começou a preparar com lentidão, para que pareça difícil, a Fase

C - reformulação do projecto inicial, deixando no ar a impressão de ser um Governo muitíssimo

preocupado com a situação social dos portugueses .

A Fase C consistirá assim numa redução, em maior ou menor escala, dos sacrifícios pedidos aos

portugueses das classes média e média-baixa, compensada, em ínfima percentagem, com "pequenas

bicadas" nos rendimentos dos mais abonados e com uma "lipoaspiração mínima" nas gorduras do

Estado .

Com esta ligeira redução nos cortes brutais constantes do Plano A o Governo espera que a habitual

distracção dos portugueses funcione como anestésico e que estes pensem e digam :

O nosso futuro próximo não é brilhante, mas do mal o menos - o Governo foi sensível às nossas

dificuldades .

E, contando o Governo que o povo venha pacificamente a reagir desse modo, esperará também que os

portugueses continuem esquecidos das mordomias dos políticos, do número exagerado de deputados,

da revisão por fazer no universo autárquico ( Mouzinho da Silveira nunca fez tanta falta ! ), do

sorvedouro de certas empresas públicas, do uso reiterado de viaturas do Estado para fins particulares,

da promiscuidade entre Estado, instituições financeiras, empresas construtoras e gabinetes de

advogados, etc, etc .

E se assim for tudo continuará tranquilamente no melhor dos mundos !

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D