Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chaise-Longue

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

História ficcionada

A composição do XXI Governo Constitucional sofreu certas vicissitudes .

Alguns dos actuais componentes foram segundas escolhas pois existiram recusas .

Num desses casos as conversas entre António Costa e o sondado decorreram mais ou menos nestes termos :

* Caro X, gostava que integrasse o meu Governo como Ministro de Y .

* Meu Caro 1º Ministro, estava muito longe de esperar ser convidado para tal . Não li o Programa de Governo nem os textos que acordou com o BE, o PCP e o PEV .Peço que me dê uns dois dias para responder, depois de os ler .

* Acho isso perfeitamente natural, meu caro X . Entrego-lhe já exemplares de todos esses textos, fico à espera da sua resposta final e bem gostaria que ela fosse positiva .

Logo no dia seguinte :

* Meu Caro 1º Ministro, cá me tem a responder-lhe .

* Meu Caro X, pensava que demorasse mais algum tempo .

* Não foi preciso, Caro 1º Ministro . Lamento, mas não posso aceitar . Julgava que o PS era ainda o Partido de Mário Soares e da Fonte Luminosa, o Partido de Vitor Constâncio e da revisão da Constituição em matéria de nacionalizações . Ora como vi que agora está muito longe desse PS não tenho possibilidade de aceitar o seu convite .

Como do "poucochíssimo" se faz muito

Tornou-se agora ainda mais perceptível a causa da chocante defenestração de António José Seguro pelo calculista e mefistofélico António Costa .

Não foi a vitória "poucochinha" de Seguro que motivou esse comportamento por parte do secretário-geral do PS, antes sim a percepção de Costa de que Seguro não teria "estômago" para "pescar" em áreas desde sempre contrárias ao Partido Socialista .

O poder acima de tudo, em especial acima dos sentimentos e da história do partido, é, afinal, aquilo que separa a seriedade de Seguro do calculismo de Costa .

SILVAS já estão a caminho . Os ESPINHOS virão depois

António Costa recuperou dois dos SILVAS do Governo do Sr. Pinto de Sousa ( Augusto Santos Silva e Vieira da Silva ) .

Só faltou a outra peça do tripé ( Silva Pereira ), mas era excessiva recomposição desse Governo de má memória .

Nos primeiros tempos tudo será leite e mel .

Só que os ESPINHOS surgirão, pujantes, por altura da elaboração do orçamento para 2017 ...

Cavaco Silva e os Governos de gestão

São inúmeras as vozes - e algumas autorizadas - que se levantam elencando as alternativas que se apresentam ao Presidente da República na superação da presente crise política .

A maioria delas diaboliza a manutenção do actual Governo, derrubado na Assembleia da República, como Governo de gestão, considerando que seria a pior solução para o país, tendo em conta a reduzidíssima dimensão dos seus poderes, nos termos constantes da Constituição .

A verdade, contudo, é que, no meu entender, as outras soluções não se afastam desta em matéria de poderes atribuídos .

Um Governo de iniciativa presidencial, com chumbo também mais do que garantido na Assembleia da República, ficaria exactamente na mesma situação do Governo de Pedro Passos Coelho .

E quanto a um Governo do PS, com "muletas" do BE e do PCP ( e do seu apêndice, o PEV ), "muletas" muitíssimo frágeis ?

Para mim apresentaria notórias características de um Governo de Gestão . 

Só que, neste caso, as limitações não seriam as que a Constituição fixa mas antes aquelas ( imensas ! ) de que o PS viria a ter consciência plena, limitações estrategicamente estabelecidas pelos outros partidos que suportariam ( até quando ? ) tal Governo .

Então como irá Cavaco Silva escolher ?

Apetece dizer :

Venha o Diabo e escolha por ele .

Os trabalhos ciclópicos de António Costa

São, sem sombra de dúvida, ciclópicos os trabalhos que António Costa tem entre mãos .

Culpa sua .

Depois de comportamentos censuráveis - a defenestração de António José Seguro e a não retirada das devidas consequências ( a demissão pura e simples  do cargo de secretário-geral do PS ) da clara derrota  eleitoral que sofreu - restava a António Costa a fuga em frente .

Ou, dito de outro modo, a busca da quadratura do círculo .

António Costa encontra-se entre dois caminhos muito dificilmente conciliáveis :

* a apresentação a Cavaco Silva  de um acordo com o BE e o PCP ( com o seu acólito, o PEV ) que seja estável, consistente e duradouro e que, desse modo, lhe possibilite vir a ser indigitado 1º Ministro ;

* negociações com os partidos à sua esquerda, alargando-as até ao ponto em que estes considerem que não desvirtuam totalmente os seus princípios programáticos .

Se António Costa apresentar a Cavaco Silva um acordo "poucochinho" sabe que contará com grandes dificuldades na sua aceitação .

Terá assim - funcionando em relação ao BE e ao PCP ( e ao seu acólito, o PEV ) como a UE, o FMI e o BCE fizeram perante o Syriza, obrigando-o a afastar-se da sua matriz originária - que convencer esses partidos a "esquecerem-se" de aspectos primordiais dos seus programas ( ou, pelo menos, a fingirem que se esqueceram deles ) .

Como o mais provável é o fingimento puro e simples, a evolução, mesmo que Cavaco Silva, pouco gostosamente, venha a nomear António Costa 1º Ministro, não augura nada de bom .

Serão admissíveis novos desenvolvimentos no prazo máximo de um ano, pois as contradições dificilmente deixarão de surgir à luz do dia .

Só que, nesse intervalo, muito do que foi conseguido nestes quatro anos de dificuldades e de sacrifícios ter-se-á esboroado sem remédio ...

Ferro Rodrigues e o segredo de justiça

Ferro Rodrigues, recentemente eleito segunda figura do Estado depois da sua medíocre performance como líder parlamentar do PS ( assim se vê o estado a que isto chegou ... ), mudou de forma nítida a sua posição em relação ao segredo de justiça .

Logo que começaram as análises por parte do Correio da Manhã às "actividades" do Senhor Pinto de Sousa, Ferro Rodrigues tomou Imodium durante uma semana inteira .

É que agora Ferro Rodrigues já não se está cagando para o segredo de justiça ...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D