Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Chaise-Longue

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

O SLB é um dos maiores clubes do mundo ... em dívidas ...

Foram recentemente difundidos dados, originários de uma entidade internacional credenciada, relativos às organizações desportivas mais endividadas do mundo .

Nessa listagem o Benfica surge colocado numa invejável ( ? ) posição cimeira .

Não tanto, contudo, como em 2015, ano no qual o clube português ocupava o 2º lugar .

Agora, nos números mais recentes e que respeitam a 2017, o SLB desceu para o 6º lugar, não deixando, contudo, de manter uma (des)honrosa performance .

Nada, porém, que deva preocupar e perturbar os benfiquistas : o clube tem um presidente que sabe bem o que é contrair dívidas avultadas e não as pagar ( ou, pelo menos, pagá-las com iiimmmeeennnsssooo atraso ) ...

Um manipulador nato na gestão do tempo

Em 31 de Julho transacto, num post com o título "As manigâncias do Costa ...", referi-me ao pedido de parecer enviado ao Conselho Consultivo da PGR, com o qual o PM teria em vista a análise do assunto das incompatibilidades de responsáveis políticos .

O objectivo parecia ser adiar essa "batata quente" para depois das eleições legislativas .

Só que agora fica adquirida uma absoluta certeza quanto às intenções de António Costa - basta ver o que ele declarou na entrevista ao Expresso, referindo que tanto pode homologar como não homologar o parecer que venha a receber .

Se é assim, para que precisa dele ?

Obviamente que é para ganhar tempo !

O Pardal vai chilrear para outro sítio

Pardal Henriques, homem de vários ofícios - advogado, vice-presidente e porta-voz do SIMMP -, vai mudar de vida .

É um grande pardal e vai chilrear para outro sítio .

Só que o galho no qual irá construir o seu ninho - o PDR do inefável Marinho e Pinto - muito dificilmente lhe proporcionará grandes voos .

Daqui a cerca de mês e meio veremos se o eleitorado lhe cortou ou não o pio ...

Resposta pronta

Na sala de espera de um consultório médico uma quarentona, com um "pernambuco" que lembrava a Tina Turner e uma tremenda mini-saia, esperava sentada com as pernas cruzadas .

Em frente dela um jovem com olhos atentos, na esperança de um descruzar de pernas que lhe lembrasse a Sharon Stone .

A boazona a certa altura atirou :

Jovem, está a incomodar-me ! O que está a ver ?

Resposta imediata e sibilina :

Nem um milímetro a mais do que aquilo que a senhora quer mostrar !

Pede-se um novo milagre de Fátima ?

O Presidente dos Autarcas Sociais-Democratas Helder Sousa Silva encabeça a organização de um encontro de autarcas do PSD, a realizar em Fátima no próximo dia 10 de Setembro .

O organizador, também Presidente da Câmara Municipal de Mafra, perspectiva juntar no encontro entre oitocentos a mil autarcas .

Tratar-se-á de uma iniciativa de pré-campanha das legislativas de 6 de Outubro, como o próprio organizador reconhece .

Só que, face ao estado comatoso que o PSD presentemente atravessa, talvez mais do que um encontro se trate antes de uma romagem de fé, destinada a pedir, num local histórico e adequado para tal fim, a graça de um milagre eleitoral ...

A contestação ao Museu Salazar

Mais de duzentos autodesignados ex-presos políticos enviaram uma carta ao Governo e ao Parlamento manifestando "o mais veemente repúdio pelo anúncio da criação de um Museu Salazar" .

Acrescentavam ainda que a construção do museu servirá de "centro de romagem para os saudosistas do regime" .

Um comentário rápido a propósito dessa grave preocupação : se tudo estivesse bem no Portugal de hoje se calhar ninguém se lembraria de António de Oliveira Salazar .

A manta é curta : enquanto tapa de um lado destapa do outro

Se a greve dos motoristas de matérias perigosas se prolongar no tempo e se profissionais da GNR e da PSP continuarem a substituir incumpridores da requisição civil são previsíveis momentos complicados .

É que esses profissionais fazem falta nos seus locais normais de trabalho .

A manta revela-se curta : enquanto tapa de um lado destapa do outro .

É exactamente por assim ser que já começaram a surgir casos de esquadras da PSP fechadas à noite .

Sendo de admitir o agravamento da situação, os amigos do alheio agradecem .

Uma legislação desactualizada

A regulamentação da greve - o Decreto-Lei nº 392/74, aprovado em Conselho de Ministros, assinado por Vasco dos Santos Gonçalves e José Inácio Costa Martins e promulgado pelo Presidente da República António de Spínola ( felizmente vão bem longe esses tempos ... ) - surgiu no mais do que longínquo ano de 1974, tendo, assim e naturalmente, características do século passado .

Neste contexto seria avisado que o Governo, ao invés da assunção de atitudes nusculadas perante a greve dos motoristas de matérias perigosas, iniciasse uma reflexão, extensiva naturalmente a outros interessados legítimos na matéria, visando a modernização dessa legislação .

Entre os aspectos a ponderar constaria, por exemplo, a indicação da entidade com competência para a análise do cumprimento dos serviços mínimos decretados, matéria que a vetusta legislação actual nem sequer contempla .

A greve dos motoristas de matérias perigosas - Ninguém fica bem na fotografia

Na greve dos motoristas de matérias perigosas todos os intervenientes apresentam um desempenho insatisfatório :

* o "pardalão" sindical, ávido de protagonismo, queima etapas, visando antecipar negociações que podiam decorrer até ao final do presente ano civil . E vai deitando mais achas para a fogueira, fazendo com que cada vez se torne mais difícil apagar o fogo ;

* a ANTRAM põe condições para regressar às negociações : o levantamento da greve e o afastamento do principal negociador sindical . Estaria receptiva se a associação sindical em causa contrapusesse o afastamento do negociador e porta-voz da ANTRAM ? Por outro lado desvaloriza comportamentos ilegais de empresas do sector, como se o facto de serem muitas, poucas ou apenas uma retirasse ao comportamento a natureza negativa ;

* o Governo - que estudou atempada e profundamente o assunto - conta com trunfos relevantes no ataque ao problema :

** BE e PCP, dado que membros, ainda que menores, da geringonça, surgem anestesiados e incapazes de reagir aos exageros na resposta que têm surgido por parte do Governo ;

** a oposição ( PSD e CDS ) mantém-se inexistente, como vem sendo habitual ;

** o conúbio Governo/ANTRAM, consubstanciado num negociador patronal e porta-voz da associação empresarial que é, segundo referido, militante do PS tem desiquilibrado os poderes em jogo . Aliás, o Governo e o negociador e porta-voz da ANTRAM, ao falar, fazem lembrar o som e o eco ... ;

** o recurso pelo Governo à PGR visando a obtenção de um parecer que lhe ampliasse os meios de intervenção atingiu em pleno os objectivos . Daí uma intervenção musculada e mesmo prematura, quase esvaziadora do direito à greve ;

** a actividade de condução por membros da GNR e da PSP tem ultrapassado em muito o número de horas de trabalho normal ;

** num pais que o Primeiro-Ministro diz estar descrispado recorrer três vezes em apenas sete meses ao mecanismo ( de carácter excepcional ) da requisição civil é obra !

Ainda se está longe dos desmandos da 1ª República , que chegou mesmo ao extremo de assassinar quem fizesse greve, como sucedeu em Setúbal, mas é um comportamento que não augura nada de bom para o futuro .

O PS, se calhar, acha que com manifestações de força determinada pode ganhar votos . Mas tal relação causa/efeito está longe de ser linear .

 

Neste momento é difícel prever como este conflito irá terminar . Mas temo que ainda venha a ocorrer um agravamento da situação :

* os trabalhadores, de forma legítima, recusam trabalhar para além do horário normal ;

* o Governo, continuando na sua postura musculada e confiando que contará com o respaldo da PGR, irá possivelmente punir os trabalhadores que recusem prolongar o tempo de trabalho .

E, daqui a meia dúzia de anos, é de admitir que o assunto ainda ande a ser apreciado nos tribunais .

Estão todos a ficar mal na fotografia !

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D