Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Chaise-Longue

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

O actual Presidente da República é um oceano de contradições

Marcelo Rebelo de Sousa fala demasiado .

E, desse modo, não acerta sempre, entrando por vezes em contradição .

Podemos recordar o episódio de Pedrógão - começou, impante, a referir que tinha sido feito ( e bem ) tudo o necessário, para, mais tarde, dar claramente o dito por não dito .

Agora são as "bicadas" ao antigo Presidente da República Aníbal Cavaco Silva .

Perante a manifestação de espanto do mesmo pela não recondução da PGR considerou que o ex-Presidente, nos seus comentários, tinha tido falta de sentido de Estado .

Só que MRS, ao falar no decurso das comemorações dos vinte anos da atribuição do Nobel da Literatura a José Saramago, não se limitou às loas ao escritor .

É certo que esqueceu ter sido o mesmo o saneador-mor no Diário de Notícias, mas não olvidou mais uma crítica a Cavaco Silva, recordando a oposição do Governo de então à selecção de "O Evangelho segundo Jesus Cristo" para um prémio internacional .

Por minha parte confesso que não o livro de forma integral .

É verdade que tentei, esforçadamente, ler o romance até ao fim .

Resisti, de modo heróico, até à página 32, quando Maria tira uma boa porção das lentilhas com cebola picada e das papas de grão-de-bico para uma tigela que vai levar ao mendigo .

E muito resisti eu !

De qualquer modo não deixo de reconhecer que há gostos para tudo ...

Mas a questão é outra - terá o actual Presidente da República revelado sentido de Estado no comentário que fez à actuação do ex-Primeiro Ministro ?

Ou a falta de sentido de Estado só ocorre nos outros ?

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D