Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Chaise-Longue

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

Site de poesia, pensamentos, análise política e social, polémica, pontos de vista, interrogações e inquietações . Aparece de quando em vez, sem obrigações calendarizadas .

O desejo, muitas vezes, limita o raciocínio

Em recentes declarações ao jornal "Público" o socialista Ferro Rodrigues expressou a opinião de

que a actual situação do país exige um entendimento "mais amplo do que tem sido tentado" e 

que "vá do centro direita à esquerda" .

Acrescentou FR que mesmo um acordo com o PSD não é de excluir, embora fazendo uma ressalva :

"O acordo não pode ser com este PSD, mas há no PSD muita gente que está sem expressão no

seu partido, que está contra a política de Passos Coelho e esses vão emergir .

Após a derrota deste Governo haverá uma nova realidade no PSD" .

E, não perdendo a oportunidade para continuar a colocar pregos no caixão de António José Seguro,

disse ainda que a ponte entre os dois maiores partidos portugueses será feita por António Costa,

pois o autarca "tem demonstrado essa capacidade de construir pontes na Câmara" .

Espantosas declarações estas !

O acordo não pode ser com este PSD mas sim com a nova realidade no PSD subsequente à derrota

do partido nas próximas eleições legislativas - que eu saiba FR não é militante do PSD ( e, mesmo

que o fosse, não teria mais do que um simples voto na intervenção para a escolha do presidente

do partido ); uma eventual nova realidade no PSD será construída por todos os seus militantes e

pode muito bem não se concretizar nos termos sofregamente desejados por FR .

Quando se tenta construir uma coligação de governo ou um acordo de incidência parlamentar o

importante, mais do que as pessoas, é o conteúdo a que se chega, resultante naturalmente de

cedências mútuas . As parcelas de abdicação dos respectivos Programas de Governo é que, de

forma equilbrada, poderão garantir o êxito negocial . E não poucas vezes - embora apenas ao fim

de longas e difíceis negociações - são concretizados acordos que, a priori, eram tidos como muito

improváveis . 

Mas é o que sucede em democracias consolidadas, exemplo que não seria mau - antes pelo contrário

- copiar em Portugal .

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D